terça-feira, 2 de julho de 2013

jogue-me sal

joga-me sal nas costas

[dizem que é assim que se mata anfíbios]

joga-me sal aos montes
no ventre no peito
nas pernas na pele
por toda extensão
desse meu ser
úmido & dulcícola

cubra-me de branco
cobra-cega grinalva
noiva-de-ninguém

joga-me sal

e sofrerei
e sufocarei
e morrerei

mas terei conhecido
gosto & tato de mar

joga-me sal
e me salva


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário