domingo, 28 de julho de 2013

inimigo íntimo

     me bate
     me pulsa
     me confronta

     abusado

sempre protegido e irredutível
completamente desconhecido
vivendo sua vida pra-sempre
dentro: meu inimigo
            mais íntimo


impossível ao meu toque
mas sensível
aos golpes da escrita

da língua poderosa
que penetra o impenetrável
que toca-o no seu intocável
ele-nele:
      o coração
                  do coração

vermelhaviva
intrusa ferida
anunciando e segredando
o tempo
da morte

batalha impossível

um dia, ele vai me matar
vai, vai sim

mas antes, vai me matar
vai, vai sim

de amor

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário