sábado, 13 de julho de 2013

escorpiões marinhos III

intensidade
per-corre eu-corpo
                zodiacal
desgovernado
possuído tomado
               língua espectral

dobro-me sobre'mesa
teu prato principal

poesia artrópode
           fere
              ferrões
Veneno & Vício
Vício & Veneno

prisioneira vascular
de visão embaçada

cortina de lágrimas
           derrama-se fogo
dor & desejo
ardências persistentes
presa inelutável
rendida
     corpo de renda
     astral

soluço sem solução
           anti-corpos

Serket deposta
Escorpião Rei

por que
me mata assim
              tão viva?
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário