domingo, 7 de julho de 2013

encantador de serpentes



permaneço encantada
                  do mesmo
encantamento
                   primeiro
                   inexplicável
                      [e ainda mudo]
inevitável
            [mas] se evitável
                  nada evitaria

levitação
ereta ao som
             suave
             sopro de vida
                            vibração
                ondas surdas
                poesias
                       sân’scrita
                dançam
                [mais do que] dizem
                torcem
            retorcem
       enroscadas
 ao silêncio

permaneço encantada
                      cativa sem cativeiro
                      naja sem veneno
                      flauta atenta
                               ao dedo 
                                    doce’m riste
do encantador
              guardado também ele
              por três olhos
                           admirados
                           apaixonados
                                  &
                           respeitosos

do amor que lhe coube
                          me amá-la

.


Nenhum comentário:

Postar um comentário