terça-feira, 9 de julho de 2013

do fracasso ou dos deslocamentos

ou há dias que leio muito mal
ou há dias que leio muito bem
[e mal em todos os demais]

ou há leitura de noites
mal dormidas
ou escrituras de mal
dormidas noites

neste hoje singular 
esta leitura fracassa

me expulsa do texto
bate-me a porta à cara
saia daqui vilã leitora

trapaceira & egoísta
fanática & ardilosa
maneirista

será?

não compreendo
se o compreendo

mas compreender não seria
o fracasso mesmo do poema?

sempre atrasado ao sentido
sempre adiantado à verdade
faz do fracasso da apreensão
o sucesso da representação

poética

o poema
o poeta
só podem fracassar

e terão tido sucesso

calada no meu canto
observo a estranha torção:

entre risos & champanhas
consumidos e idolatrados
por leitores mais ou menos lidos
os badalados novos poetas
dão entrevistas e autógrafos
palestras e cursos de metáfora
desfilam louros e morenas
fazem estrondoso sucesso
na companhia de mil letras

e fracassam

andam em círculos
puxando seus poemas
pelas mãos, perdidos
expulsos da Poesia

não há paraíso possível
ao Poeta

cumprem também eles
o estranho desígnio da
poesia


embora eles nem ao menos

saibam

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário