quarta-feira, 31 de julho de 2013

a olho nu

faíscas fascinantes
cortam o córtex visual
e abrasam os braços da ideia:

escrevo

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário