quinta-feira, 13 de junho de 2013

teatro de sombras



a china é muito longe daqui
mas não está longe de mim

colada
    à distância
       danço embalada
na sombra
       da tua ausência

palco

de quantas luas & sóis até que? meu nome
de novo na tua boca? sussurros labirínticos
de somsentido? consentido no por-de-trás  
                                     da cortina branca?

balanço mudo de mãos
                leveza de flauta-fêmur
entre lançada aos dedos
                orquestradora do sopro
adestradores do vento

me encanta
       dulcíssima
            sobre o corpo
                    escama-orifício
                                transversada
                                       surda ao som
                                                  movimento-eu
                                       vibra ao som
                                 sombra branca
                      dedos projeção
              transatlântica
         translúcida
me ressuscita
         me configura
              me ilumina
                            me poema
                                     me prosa
                                                me acena

me encena

a china é muito longe daí
a china

meu? cenário estratégico
olhos e palmas e sorrisos
assomados e camuflados
na sombra do teatro teu?



.

4 comentários:

  1. O processo de formacao das sombras pressupoe a existencia de obstaculos com opacidade inerente.O encadeamento das palavras do poema nao traduz opacidade.Traduz ate um palco, onde a distancia se reveem dois actores descritos com palavras brilhantes.

    Nao obstante a minha insonia de hj obriga-me a ler sombras dentro de mim.Sem razao aparente td parece sombrio,quase escuro mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Por que Ametrica? O que houve? De que são feitas tuas sombras?

    Olha não é bom lutar contra a insonia, ela sempre vence... Você tem medo do escuro?

    ResponderExcluir
  3. Só tenho medo de que me coloquem escuridão nos meus dias.Não, não tenho medo do escuro.Sou uma pessoa destemida na noite, mas não da falta de luz.

    :)

    ResponderExcluir
  4. ah... q bonito isso.
    não faltará luz pra vc, Ametrica... e o escuro a gente aprende a conviver com ele e encontra nele outras formas de iluminação... pelo menos tenho seguido essa perspectiva, a única possível para mim...
    desejo-te luz: não em excesso: o suficiente para ver, mas o insuficiente para ver tudo, assim vc terá de tocar, cheirar, lamber, intuir, terá de gastar teus sentidos... o quarto escuro não é o mesmo quarto aceso, um está dentro do outro, mas são diferentes... :)

    ResponderExcluir