quarta-feira, 19 de junho de 2013

sim

sempre

sempre as tuas palavras
vigília de amor & guerra
performance em chamas
bandeira sem bandeiras

violação:

cordas em estado-de-canto
corpos sitiados no vento
levante & desordem
d'um novo acordar
pra sonhar

colisões 


.

4 comentários:

  1. um sim.sempre

    d'um novo acordar
    pra sonhar
    no vento
    levante & desordem
    corpos sitiados
    em estado de (en)canto

    sem
    violações
    sem
    colisões



    P.S.Desculpe o abuso.
    Beijos.





































































    ResponderExcluir
  2. hmmm q bonito! a gente pode fundir um no outro... aí sim os poemas farão amor, não é?

    [não há abuso nenhum, pode fazer isso sempre...]


    sabe, eu fiquei pensando uma coisa, mas é difícil explicar... na verdade eu fiquei me perguntando sobre uma coisa, que é difícil de entender...

    eu deveria ter escrito a versão que vc escreveu, em especial isso:
    "sem
    violações
    sem
    colisões"

    por que eu não escrevi isso, é o que me pergunto e me assusta... mentira: me aterroriza... porque eu tenho obrigação ética de ter escrito isso... aiaiai... e eu começo a entender uma coisa como se uma luzinha se acendesse dentro de um lugar muito escuro... mas acho que vc não está entendendo nada do que eu to falando... puxa, estou absurdada com o efeito que isso causou em mim...

    ResponderExcluir
  3. "vc não está entendendo nada do que eu to falando".não preciso entender nada.precisei apenas perceber que passou uma luzinha daqui para aí e isso é mais que suficiente para por um brilhozinho nos meus olhos, aqui.preciso saber que eu falei e mexeu.
    mas não se aterrorize com nada.nada mesmo.as obrigações éticas são valores, sempre.mas "pecados" que nos façam, ou "pecados" que façamos, todos temos.o importante, presumo, é sabermos ver sempre as luzinhas que nos dão e acendê-las no tal lugar muito escuro.podemos sempre iluminar os nossos escuros, basta querermos e desejarmos com muita, muita força.e iluminar-nos é passarmos a estar com luz onde ate ja estivemos bem escuros.
    agora sorri :); um dia alguem me dizia que eu teria vocação para escrever auto ajuda, e eu fiquei muito zangada ( como se fosse possivel eu zangar-me!), hj quase parece que o estou a fazer, mas não.nao se trata disso.apenas um desabafo de quem ja teve muitas noites em quartos escuros, e hoje quase parece estar num quarto meia luz, de serenidade feita de amor.aprendi a não desperdiçar um só momento, um só instante.e acredite que estou numa divisão de 4 paredes, com uma mesma à minha frente, como que a querer-me emparedar ( acho que ela se tornou a minha maior confidente, a parede). ainda assim à parede eu chamo a minha melhor amiga.basta querermos e somos capazes de desanuviar os nosso lugares escuros,ou menos iluminados da alma, e ate chamar amigas às paredes :)

    uma boa noite, para si.

    ResponderExcluir
  4. to há mto tempo olhando para o seu comentário e acho q já li umas 15 vezes. não sei bem o que falar e tb sei q não precisaria falar nada, mas mesmo assim eu quero.
    lá se foram mais 15 minutos desde o q disse acima. já reli tb.
    a verdade é q eu não esperava ouvir isso (talvez um dia quando eu morresse e de um anjo com uma chave bem grande na mão me convidando a entrar pro céu rs)...
    me desculpe a brincadeira eu fico mto nervosa qdo as coisas me tocam e aí faço piadas pra me distanciar o máximo possível das pessoas que de alguma forma atravessaram a linha de proteção...
    mas eu sinto uma identificação muito grande com as coisas que diz e talvez por isso me permita receber o carinho que se depreende delas... eu não costumo deixar que o carinho e o amor das pessoas cheguem até mim e é mais fácil dizer isso pra vc que não me conhece do que para os que me conhecem pq eles já têm um desenho de mim que é muito o que eles projetam e muito do que um dia eu fui...
    claro que sou amada pelos meus amigos, mas eu não me deixo ser muito amada, entende? é como se isso me fragilizasse e eu me sinto como se estivesse me desfazendo por dentro, então eu me protejo o tempo inteiro daqueles que me querem bem... eu fico querendo bem, mas com uma parede de vidro que nem empre eles veem mas que eu sei que tá ali o tempo todo, não porque não goste das pessoas, mas porque tenho medo de gostar muito e sei lá o que poderia acontecer comigo...
    você fala de quartos escuros, de paredes e pecados, de luz e de solidão e eu fico me sentindo tão próxima de vc que nem vejo - ou esqueço - essa parede que vc trouxe consigo desde que começou a aparecer por aqui... parede revestida de espelhos...

    obrigada Ametrica
    receba todo meu carinho, até aquele que ainda não aprendi a dar.

    ResponderExcluir