domingo, 9 de junho de 2013

ouça:

escrevo porque minha voz não é doce
mas minhas palavras também não são

guardo meu sabor para o beijo
que não sabes
para o dia que teus dentes tatuarem
teu nome no meu

e nas palavras trabalho a textura:
quero-as de margarina

para que não firam teus ouvidos
não queimem nem machuquem tua Língua
ao pronunciar em eco
o que digo a ti
em verdade:


.

3 comentários:

  1. quando as palavras transportam som, tratar-se-à de uma voz de força única.ou serão as palavras que serão únicas?
    ou será que são as duas.voz e palavras?
    a doçura da voz ou das palavras, dependerá muitas vezes de quem ouve e lê.muitas vezes vem duma voz grave e dumas mãos calejadas de escrever palavras.entre o emissor e o receptor algumas vezes ha encontros, outras desencontros...enfim, ruídos de comunicação escrita.a oral tem olhos e os olhos raramente se desencontram, haja maciez na voz, nas falas, ou não. sejam doces ou graves as vozes que proferem palavras doces ou ate azedas...ha olhos e olhos e olhares....
    e olhares impelem beijos guardados, que nao se sabem nem se podem escrever

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ametricaaaaa
      que saudades eu estava de vc!
      que palavras bonitas: "ha olhos e olhos e olhares....
      e olhares impelem beijos guardados, que nao se sabem nem se podem escrever"... posso ouvi-las!
      fico feliz de te encontrar hoje :))))

      Excluir