quinta-feira, 27 de junho de 2013

no ônibus, na estrada



ônibus & passageiros
mas ah

como posso conter
essa tua poesia que se mete
no meu entre-pernas

lambendo brancuras
babando penugens
chupando gostoso e

ah o que posso fazer
pra ela sair depressa
do debaixo das saias

mas não não quero
agora primeiro mais
sim assim veneno
nos sax de banho

tua língua-de-dedos
folheando as dobras
apertando ah bunda

como posso conter
essa tua poesia que se mete
toda de uma vez e

ah molha as pernas
eu danço no banco
estofado nas listras

ahzuis e cadê?
cadê o botão?

cadê o botão
do ponto final
pra eu apagar
esse Grito que
é o outro nome
de você

hoje
no ônibus
na estrada

chuva na pista molhada

 .

Nenhum comentário:

Postar um comentário