domingo, 9 de junho de 2013

calada

a cidade nunca esteve tão calada
não há luzes e buzinas nas ruas
latas de cerveja pelos cantos
ratos e baratas nos bueiros
putas bêbadas nas boates
corpos mocozados nos
motéis

nem o solo invisível
de um sax

a cidade nunca esteve

tão

4 comentários:

  1. ha dias em que a cidade parece que está no seu cantinho, quase envergonhada, quase fazendo crer que está longe.a cidade precisa de se refugiar quando sente que lhe roubaram o seu lugar...a cidade sente.e de seguida logo volta ao lugar que lhe pertence. a cidade vive e nós nela vivemos.quantas vezes se foge dela, também?
    cidade e nós, nóss e cidade,sempre expectantes pelos movimentos e pelos sons, pelos olhares calados e silenciosos...

    ResponderExcluir
  2. Ametrica, só vc me entende tão bem... senti tua falta quando vc sumiu :P

    há uma cidade que me habita. eu não a convidei. invadiu-me. fez de mim sua casa. ou a aceito ou ela me expulsa de mim...

    ResponderExcluir
  3. :))
    vou dormir a
    Sorrir.bonito comentario
    beijos!

    ResponderExcluir