quinta-feira, 27 de junho de 2013

não sei nada

.
.

tradução



língua de partida
língua de chegada
des-encontros
lábios sincroni
                   zando beijo 

 .

ímpar



meu eu
tragicamente
duas comigo mesma


.

insônia



expulsão 
       da mundanidade do mundo
necessidade 
       de pedir emprestado o que se possui
assustadora 
        vigilância de sonhos alheios


.

status atual



poema-mendigo
sonhando abrigo
no canto d’olhos
do Outro


.

lobisomen



todo poema porta 
             e suporta
o esforço do autor
para fazer-se 
todo e inteiro 
signo


.

poema



o poema:
         aperto de mãos
         signo de nada
         dizer sem dito
         doação de si
convite à morada do ser


.

poesia



aventura infinita
de uma letra morta


.

do que diz o poema



queres saber o que digo?
cola teu ouvido rente ao poema
e escuta seu burburinho
com os dedos acha seu coração
e ausculta seu compasso

todo poema tem
um nome próprio
taquicardendo no peito 


.

cigana



não há leitura mais poética  
do que a de tuas mãos
espalmadas sobre as minhas


.

poemas que leio com uma só mão



sim, você molha
a minha calcinha
sim, mas e daí?
isso te faz melhor
             escritor?


.

das restrições



não amor, beijo
só depois do casamento


.

aos homens



se querem me comer, me comam
estou mesmo destinada aos vermes


.

traição*



Leitura
é sobre
tradução



* título original: 'tradição'


.