segunda-feira, 13 de maio de 2013

sherazade muda

o que ouves de mim
é só o que meus dedos
dão conta de escrever

é palha
       tradução falha
de um sentir que se
       espalha

não podes ouvir os versos
dos poemas que guardo
embaixo da pele

disfarçados de carne
e sangue e ossos e dentes

todo meu corpo responde
à palavras tuas
como um trem acelerado
sobre trilhos

não tenho histórias
não tenho cantos
não posso abastecer
tuas noites e entendo
teu tédio de mim
teu desejo de
outras coisas

só tenho uma fúria
embaçada aos teus olhos
pelo espelho:

desejo de lábios grudados aos meus
de corpo suado colado aos seios
de dedos clandestinos afundados
na calcinha

não
não há nada de ameno de medido
de con-ta-do

é que só tenho a mim
e mais ninguém
pra controlar esse meu corpo
em fúria


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário