sexta-feira, 3 de maio de 2013

saudades



e que sob tanta luz
não te pareça que me é simples
seguir adiante depois de cruzar contigo
nessa via de palavras turvas

dolorido desfazer-se
como se me descascasse
a cada passo
e sendo eu feita de cascas
me perdesse toda
pelo caminho derradeiro

que me afasta de ti

movida apenas de um instinto
selvagem de sobrevivência 
& encantações curativas

peito aberto em escarlate vivo
oco escancarado de uma ideia
que se derrete
                pensamento em caldas
                cio úmido
                samambaia cascata
                suicídio da razão
                desvarios rosados
                deslumbrante eternuridade

noite alta
lua em mim
minguante
onda pesada
de tempo
contornos
de um vazio

rastros navalha sobre
chão de partida

cigarras e pedras
sobre pés que se apagam

ser transubstanciado
em saudades


03/05/2013
.

Um comentário: