quarta-feira, 29 de maio de 2013

eu, rio de mim

eu rio de mim

já não me sobra costela
que não tenha sido que
brada

e eu ainda amo
como quem espera

no portão


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário