sexta-feira, 17 de maio de 2013

boca

há dias em que as palavras me bastam
e me bastando, me saciam

há dias no entanto que as palavras
já não cumprem essa função

sem licença
elas se apressam a alimentar minha fome

nestes dias
   de fome e fome
não me importa
a rosa
o lobo
a asa
o anel
o verme
a arte
o laço
a fita
a lua
os pés
o céu
o mar
o tubarão

(talvez só o tubarão)

(não, nem o tubarão)

nestes dias ocos de palavras
molhados de silêncio
só me importa
a boca na boca

as bocas
que nem nome de boca têm.

.


Nenhum comentário:

Postar um comentário