quinta-feira, 23 de maio de 2013

1.

há coisas sobre as quais eu não consigo escrever e talvez seja por isso que há mais de cinco minutos estou escrevendo e apagando essa frase e acho mesmo que por não conseguir por não conseguir escrever sobre isso acho que se eu conseguisse escrever o que eu não consigo talvez e é um talvez cheio de esperança talvez algum milagre pudesse acontecer e eu poderia não sei não sei o que eu poderia porque a verdade é que eu não sei se alguma coisa mudaria acho que não dá mesmo pra mudar e daqui pra frente as coisas serão o que serão e o que aconteceu vai ser sempre aquele dia e mais hoje e mais amanhã porque algumas histórias vão se arrastando com a gente e também porque algumas histórias raras histórias são capazes de se movimentar pra frente e pra trás e tudo adquire uma coloração terrosa e uma bruma densa espessa que faz de toda a vida da gente um rio de caudalosa melancolia mas mesmo assim eu queria dizer alguma coisa mas alguma coisa desde dentro desde o fundo e não coisas com começo meio e fim e principalmente fim porque porque também tenho a impressão de que poderia ir escrevendo aos poucos talvez um pedaço uma peça e ir encaixando até que eu me lembrasse e se me lembrasse poderia talvez esquecer para sempre mas acho que não que há dias que vão ser assim que o tempo vai desaparecer e tudo que estava tão bem não sei eu gostaria de não estar chorando porque é difícil escrever lembrar e chorar ao mesmo tempo as coisas não podem não devem ser tão simultâneas assim mas é engraçado como não engraçado não como eu posso ter escrito uma palavra dessa não não há nada de engraçado estranho curioso talvez mas engraçado não é curioso como esse dia e eu falei que há histórias que correm para trás e para frente e que a vida vai ter sempre a vida e mais aquilo e aquilo me remete à cirurgia dos olhos engraçado eu ter feito a cirurgia uma semana antes miopia era tão pouca miopia mas eu não queria mais usar óculos e olha que eu ficava bonita de óculos mas eu queria ficar eu não sei o que eu queria eu estava tão feliz dentro daquela vida e eu me perguntava principalmente nos dias em que o céu ficava cor-de-rosa eu perguntava a mim mesma meu deus será que eu mereço ser assim tão feliz mesmo depois de de tudo o mais e é engraçado não estranho que eu estivesse vivenciando o período de super-visão e quando eu penso nisso eu me lembro daquele dia em que você nem era você era ele e era um dia em tudo estranho e aconteceu aquilo e foi a primeira vez que eu soube o que há por detrás dos olhos sem metáfora os olhos dele escorrendo pelo rosto e o desespero dele e o meu desespero o que eu poderia fazer para conter aquele olho que desabava sobre o rosto e meu deus meu deus como é possível que isso tenha acontecido num dia que aparentemente era um dia tão comum mas não era porque seria o dia de uma desgraça seria o dia que eu lembraria pra sempre e principalmente num dia como hoje que eu preciso dessas lembranças mais mais o que? não posso dizer que essa é uma lembrança mais suave porque isso seria pecado uma lembrança que doesse mas que me protegesse do abismo uma lembrança que eu pudesse segurar com as mãos e apertá-la no peito e dizer é minha essa lembrança é minha e eu posso viver com ela eu posso escrever sobre ela e isso de alguma forma está resolvido dentro de mim a pessoa que você ama e o seu olho molhando a camisa e um buraco no meio do rosto um grande buraco no meio do rosto que se estendia pra alma e que talvez eu possa um dia dizer que a cor dos olhos é somente uma ilusão que os olhos são brancos e amarelos e não são nada talvez todo o resto não seja nada todo o corpo seja um líqu todo o corpo seja só pedaços de gente sobre o asfalto mas eu queria escrever alguma coisa sobre aquele dia e queria falar que me lembro de quando ele você chegou e no alto havia aquelas luzes fosforescentes e eu estava muito confusa e quando vi sua cabeça sobre mim e vi também você usava uma blusa de lã branca e sua cabeça sobre mim nossa como havia preocupação e amor naquele olhar e cuidado e seus cabelos enrolados de anjo e tudo em você era anjo me chamando de volta pra cá e nossa como havia amor nós nos amamos muito e isso me faz bem me faz bem saber que nós nos amamos muito e que você esteve do meu lado e que sorriu quando eu te pedi perdão perdão perdão tantas vezes e também quando me arrancou daquele surto você deve se lembrar do dia em que meu deus eu tenho certeza que não teria dado conta de viver aquilo sozinha e não há palavras para dizer minha gratidão eterna mesmo sabendo que tanto amor nos custou o nosso amor. eu te tiro daqui a gente vai embora daqui eu fujo com você pro paraguai você conseguiu me fazer rir eu ria muito com você e eu vi que nada na minha vida era mais importante que você e foi aí foi aí que eu pensei aquele pensamento abominável eu pensei que a partir daquele momento nossa história tinha terminado e talvez aí eu tenha começado a desamá-lo e fazer tudo para que me desamasse e eu não falo desse amor desse que é o amor daqueles que um dia se amaram muito e vão levar pra sempre o sentimento bom que falo daquele amor aquele amor eu me despedia do que de mais bonito eu tinha vivido eu ainda não sabia mas já tinha me condenado antes de todo mundo e decidido qual seria minha mais dolorosa pena

2 comentários:

  1. Acho que sua ficha caiu. Foi assim mesmo que aconteceu... Sinto mto amiga... Ah, como sinto mto por vc, por mim, por todo mundo que decidiu que ser mto feliz era feio... Sinto por nós... Choro por nós...

    ResponderExcluir