quinta-feira, 18 de abril de 2013

muro pichado



assustador:
o muro pichado

eu que me pensava
           trancada
           protegida
           sozinha
           a salvo

ingenuidade ou ilusão
nunca imaginei que aqui
[na intimidade]
estaria na mira deles

olhares me espreitam
procuram rachaduras
ruínas & frestas

prepara-se a invasão

me pergunto
que interesse tem minha casa?

essa casa que construí para
abrigá-lo em mim
                para obrigá-lo a mim

não há nada que sirva a outros

foi construída pra dois
tudo é em número par
                duas cadeiras
                duas xícaras
                dois pratos
                duas janelas
                duas toalhas
                uma cama

todas as palavras reverberam
o seu nome
                são sorrisos
                gemidos
                lamentos
                chamados
          
são o intervalo
até se sinta pronto

e volte


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário