terça-feira, 2 de abril de 2013

explicação científica sobre o tempo


o poeta fere Láquesis
                   irmã de Cloto e Átropos
                   a de dedos atemporais
                   dona de todos os fios
com sua total incompreensão
sobre o tempo

acaso não sabe o poeta que o tempo é ele?
acaso não supõe que antes dele o tempo não existia?
e que, portanto, uma reflexão temporal seria injustificada
e impossível?

entenda poeta: se o tempo fosse outro não seria tempo
porque tu não estarias nele construindo meses, dias, horas 
                                                                  e instantes intermináveis

mas talvez que o tempo do poeta suspenda-se infinitamente
diferente deste que se anuncia à Laquesis desde que pariu
um relógio de corda
filho clandestino do olhar cosmonauta

Láquesis agora conhece o tempo, a pressa & a demora
e ainda a espera pelo um dia

espera que preenche com o exercício vagaroso
de dedos suaves entre os vãos suados dos versos
elaborados nas manhãs solitárias
no quadrado cômodo
cortado por um mar de ideias

acredita poeta: tempo não se mede por pouco ou muito
tempo se afere pela intensidade

qual é a medida do teu tempo, poeta?


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário