terça-feira, 30 de abril de 2013

do supérfluo

e quem em sã consciência
almejaria um pote de ouro
quando há todo um arco-íris
para desfrutar?


.

santa ceia

e o que tenho a oferecer Àquele
que chega ao meu Templo
descalço, com sede & faminto

que não abrigo, pão e vinho?

sob meu teto
serás acolhido por meus braços
e saciarão tua sede meus lábios
e matará tua fome meu corpo

acredita:
eis o mistério da fé


.

01:02

enquanto escreve
versos animados
por bonecas de gelo
lingerie pelo de panda
e noite de uísque em
cobertura 5 estrelas
de iglu no alasca

eu verso teus olhos
invadindo os meus

: córnea, íris, cório
humor aquoso humor
vítrio & retina
tudo emoldurado
em cavidades ósseas
protegidas por duas
pálpebras tontas

que não se fecham
quando eu o vejo
chegar


.

segunda-feira, 29 de abril de 2013


é tão noite aqui dentro que o jeito é sonhar para fora


.

o livro do silêncio


eu queria escrever um livro
mas eu não sei o que dizer


.

nefertite


te reconheço em braile
Nefertite cega
t a t e i o

apenas pó
de idéia


.

descalço


meu corpo no desejo do teu corpo
lembra palha, rala e vala
riacho, ritmo e realejo

meu corpo no desejo do teu corpo
folheia páginas, pátios & beijos

pra te encontrar nas dobras de um rodapé

corpo de terra, papiro e semente
soberano e vassalo
obediente

apeia teu cavalo-nave
pra eu tocar teu barro
moldar meu jarro
e te beber descalço, nu
e quente

(num só gole)


.

descalça


queria o mundo e
aí um dia o mundo
caiu no meu joelho
e de joelhos
já nem sei mais o que fazer
com ele e vou
andando
às vezes vendada, outras à venda
mas sempre descalça
porque é assim que eu sinto
muito


.

eternuridade

eternuridade, s.f. (do latim aeternitate por aglutinação com do latim ternu). Qualidade efêmera do que é terno.|| O que há de eterno no transitório.|| Afeto muito longo; tristeza suave e demorada

há anos quero escrever um poema
usando essa palavra
mas ela sempre me escapa


.

sem título


no começo, digo, no começo do fim, eu achei que a gente daria um jeito, porque sou de um tempo, ou de uma raça de mulheres, que ainda leva o sapato no sapateiro, o vestido na costureira, pra consertar ao invés de substituir... e eu disse pra ele que a gente podia continuar... tentando... na verdade o que eu disse pra ele foi: “eu quero continuar te amando”... não, lembro que eu disse exatamente assim: “eu quero MUITO continuar te amando”... ele demorou uns dias pra voltar ao assunto: “você não vê o que tá acontecendo? se quer me amar é porque já não me ama mais, porque a gente só ama quando não quer amar”... eu não tinha argumento... de qualquer forma, não tinha palavras, elas tinham secado e parecia que pra sempre... então acabou... isso faz bastante tempo e eu nunca entendi o que na hora me pareceu só um jogo retórico, clichê de separação...  "a gente só ama quando não quer amar"... não fazia sentido... até hoje quando, vindo pro interior, na estrada, ouvindo uma música, fui atravessada de um medo, não, de um pavor e de um desejo, maior do que o mundo, de não sentir mais isso que estou sentindo... aí eu rezei e pedi pra acabar... estou esperando acontecer.


.

virgínia

aqueles que paravam para observar seus
movimentos finos & sincronizados
imaginavam-na apenas nadando
e não podiam supor
o esforço diário
que fazia
para se



a
fo
ga

   
      r


.


domingo, 28 de abril de 2013

caça

presa acuada
contra a vala

encaro o Duploque me encara

e cala


.

hino xamânico




A FORÇA CHEGOU

Andei, andei, no vale, eu subi a serra
Atravessei o rio de tuas terras

Vi o Sol, a Lua e as estrelas no céu
Vi o Sol, a Lua e as estrelas no céu

Chamei o Cipó, a Rainha
A Água e o Fogo

Falei com meus índios na floresta
Falei com meus índios na floresta

Subi na árvore mais alta
E vi a floresta sumir

Quando ouvi um boto me chamar
Quando ouvi um boto me chamar

Para avisar que o Amor ia chegar
Para avisar que o Amor ia chegar

O Amor chegou e me levou
O Amor chegou e me levou

Para além das nuvens
Para a casa de meu Pai

sexta-feira, 26 de abril de 2013

do amanhã e depois

amanhã
meianoite
vou pra floresta
e aí não serei só eu
serei eu e eles em mim
firmados na força da deusa

estarei lá mas também aqui
e todo teu corpo de terra
sentirá essa energia
o tremor líquido
inesgotável
em tudo
eu

desde amanhã até
depois domingo
ao meio
poderá me tocar
na pétala da flor
poderá me ouvir
no voz do vento
poderá me sentir
no gosto da água gelada
no banho de água quente

e ao fechar os olhos
se me chamar
me farei Presente
frescor e lava
dentro de ti

ofereço
minha magia

como prova
e retribuição
desse sentir
em tudo
inaugural
e fundo

e sendo oferta
dom & doação
pode aceitar
ou não

mas fique tranquilo
eu saberei


.



minha resposta



se o mundo acabasse
depois de amanhã
             EU JURO
acabaríamos juntos
e sem legenda


.

ajuda profissional

na sessão coruja
comi pipoca
vendo Tubarão
no teu colo

as emoções
me tomaram
com coca-cola
e fanta uva

morri de susto
na cena que
morríamos
depois do beijo

chorei de rir
quando clicou
na legenda
botão ficção

apagamos olhos
e amanhecemos

amantes colados
na baba do travesseiro

eu te adoro e não consigo
mais escrever esse roteiro
sem ajuda profissional

não consigo
não consigo


.





hemorragia do desejo

você

explosão de auroras

meu mundo subterrâneo
que infla e me expulsa pra fora de mim

hemorragia
do desejo


.


pecadora em mergulho onírico



pescadora
de estrelas cadentes
lanço a rede
e deito


.

profundidades



afundo
inútil lutar
não me dou pé


.