domingo, 17 de fevereiro de 2013

blue rock



aquele mesmo sonho
n o v a m e n t e
mergulhava na piscina. não era água. gel bozzano azul. cheiro mentolado grudava no corpo difícil mexer braços e pernas. chegar. na borda pessoas riam. ao sol. piña colada. coqueiros ridículos enfeitando corpos. copos. máquina sugadora ao centro. gel movediço. não havia pescoço. nem queixo. última chance de tragar todo ar e se entregar

nadava
bailarina no etéreo disponível em supermercado
cratera espaço-temporal em pote plástico
câmera lenta no quadrado retângulo da piscina circular
tudo suspenso no tempo pastoso azul e mentolado
marmita comendo pai
máquina costurando mãe
bonequinha rosando bochechas
jabuticabas no escuro
no escuro
o ar finda.

içada na âncora do presente
espasmo cama lençol suado corpo molhado bailarina na caixa de música
jim morrison disputa paredes brancas com códigos secretos em braile
ela levanta. 
toca os sinais esfrega o corpo contra o gesso tira a roupa & mistura-se às informações
this is the end

abre a janela e engole todo ar que pode
caminha nua pela casa em busca de água
olha-se no espelho
vejo o ônibus azul tatuado por detrás do ombro
it hurts to set you free
a pele escorre sobre a água quente
geleiras descongelam e avançam sobre a península
o mundo queima o aquecimento é global
ride the snake

lie the snake

esfrega o copo
esfrega o corpo
esfrega
esfrega
esfrega
o cheiro azul persiste 
bozzanamente
esfrega
esfrega
esfrega
esfrega

vermelho
vermelho
v e r m e
                l h o


this is the end
beautiful friend
this is the 
e n d e n d e n d e n d e d e n e d e n e d e n
my only friend,
the end


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário