quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

armad'ilhas



e
a sereia acordou enredada
de sua própria teia
presa de um encantamento
sem precedentes

um renovado sentir
escamoso
adornado de cinta-liga
de natureza anfíbia

um sentir que se faz canto
inaudível
uterino
arco-íris luminescente
luzes estroboscópicas
invadindo olhos
brânquias

& pernas impossíveis

‘vem pra Perto’

vem de Longe:
eco perplexo do avesso de ondas
vertendo de lábios úmidos
desejo amanhecido de cais
de encontro
de Ulisses:

ancorado no silêncio



.

Nenhum comentário:

Postar um comentário