sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

asfáltica

você esqueceu algumas palavras
no banco de trás
dos meus dias
posso ouvi-las
pelo retrovisor
carcomendo o estofado e o tapete
de borracha
que não apaga
o cheiro de cerveja
quente
assombra as paredes
da memória
a língua
desacorda
a lembrança


.

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

rosário

o rosário é uma prática
de devoção religiosa:
recitação seriada
dos mistérios da fé

ele tinha três vezes mais
dedos do que contas
o terço
e eu me perdia
na contagem das aves-

(o céu sempre tão azul)

maria
nunca resolveu
esse mistério


quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

um livro chora?

quanto um livro chora antes de fazer chorar?

paisagem

cerro os cílios sobre
a superfície dura
ramos frágeis
cilício

o destino burka-me

repara naquela que
vem
o turbante dourado
envolve a cabeça

só o fogo conhece
seus feitiços
uns nomes
uns ramos

ela traz um mantra
imantado no peito

leves, duas asas
pousam nas minhas
mãos
pesadas

fabricam desejo
desmedido

rabisco o nome
de ninguém
um risco


.

sucessão absoluta de agoras

o corpo pode compor a história de outro
corpo: são peles, pelos e apelos
não havia nada ali
a não ser uma
sucessão absoluta
de agoras

chatice
sucessão de chatices infinitas
e o tempo
corroendo as juntas
dos pés

cada um faz um caminho, só
os encontros se dão
num breve a-
talho

passageiros

ela disse: "o que a gente não faz
por uma bela foda"
colocou a fita no cabelo e pegou
o pote de doce para a vovozinha

é uma chatice
sem tamanho
esperar o outro dançar
sua dança: os pés
tamborilam os olhos
procuram outros
espaços

o dedão do pé não
consegue abraçar
o mindinho


.